Prolinx

Blog / Informe-se

Entenda como um Windows Pirata pode trazer prejuízos para sua empresa

Não é segredo para ninguém, muitas pessoas e empresas têm uma cópia pirateada do Windows instalada em suas máquinas. No dia a dia, isso pode gerar poucos transtornos, mas será que não vale a pena investir na compra de um software original?

A resposta para essa pergunta é sim e, neste post, vamos te explicar o porquê apresentando as diferenças entre as versões e os riscos que um software pirata pode apresentar para você e para a sua empresa. Vamos lá? Acompanhe!

Qual a diferença entre o software pirata e o software original

Indo direto ao ponto, o software pirata é uma versão gratuita e uma cópia ilegal do Microsoft Windows original.

Em um aspecto geral, ambos funcionam da mesma maneira, mas a versão pirata não conta com o suporte da Microsoft e nem recebe as atualizações de segurança, cruciais para proteger a máquina contra riscos.

Assim sendo, o Windows pirata pode precisar de softwares não autorizados para ativação, que podem conter códigos maliciosos e contaminar a máquina, gerando transtornos variados.

Quais os riscos que a versão pirata traz

Uma versão não genuína do Windows é programada para te alertar de que você está fazendo uso de uma cópia não autorizada. No mínimo, isso é algo que se torna irritante, mas não é o único problema.

Como já foi dito, a versão pirata é menos segura e deixa o computador vulnerável ao ataque de malwares diversos, capazes de gerar pequenas chateações ou levar a situações bem mais graves.

A contaminação da máquina em função da baixa segurança pode fazer com que todo o sistema fique mais lento. Mais do que causar estresse e comprometer o andamento das atividades diárias, pode fazer também com que seja difícil identificar problemas maiores, como a presença de códigos maliciosos mais poderosos.

Esses malwares mais poderosos podem causar a paralisação dos sistemas e das atividades da empresa e levar à perda por comprometimento ou até ao roubo de dados cruciais e valiosos.

Fiscalização da Microsoft, multa e punições

Há alguns anos, a Microsoft segue empenhada em descobrir usuários de softwares e licenças piratas para seus produtos e desenvolveu meios para fazer isso.

Por isso, empresas que não tenham o Windows original podem receber uma notificação da desenvolvedora quanto a fiscalização de licenciamento do software. Se, após esse aviso, a empresa não adquirir os produtos originais, o caso vai parar na justiça.

Assim sendo, o uso de um software pirata pode levar a processos cíveis e criminais, além de multas que podem chegar a R$ 3mil. Em último caso, o responsável pode ser preso por até quatro anos.

Qual a diferença entre a versão original e a pirata

Agora que você já sabe os riscos da versão pirata, deve estar avaliando regularizar a situação da sua empresa e se perguntando qual a diferença entre um Windows original e uma licença.

O Windows original é o software que conta com o suporte e a garantia de atualizações de segurança da desenvolvedora. Se sua empresa adquiriu computadores que já vieram com o programa instalado, eles possuem licença e estão regularizados.

Se, do contrário, seus computadores não vieram com o software ou por algum outro motivo foi preciso fazer o download para a instalação, é necessário fazer a compra da licença (license key) junto à Microsoft e seguir as instruções para validar o sistema.

É importante saber, ainda, que é preciso obter uma chave diferente para cada máquina, mas, frente aos riscos, o investimento vale a pena.

Quer outras dicas para proteger a sua empresa? Leia nosso post sobre plano de contingência de TI e evite problemas!

Leia mais...

CenturyTelecomDedic(feed)-min
Blog25_Wifi(feed)-min
CiscoIMATextil(feed)-min